A semana ainda nem acabou e três notícias sobre mulheres estão dando o que falar.

Começamos a semana com uma chamada do Jornal O Dia, que ganhou destaque na internet, por trazer uma foto da atriz Vera Fisher, feita num momento super relax, em que ela estava sem maquiagem, apenas vivendo sua vida de pessoa normal, como todos nós. Ao lado, o jornal trazia outra foto da atriz, que provavelmente foi tirada a 20 anos atrás, e como se isso não fosse suficiente, havia uma certa produção envolvida (maquiagem, cabelo, luz, etc). A chamada era que Vera estaria “irreconhecível” hoje, sendo uma senhora de 63 anos, sem maquiagem, com cabelo grisalho, sem nenhum penteado, apenas sendo ela mesma.
Minha primeira reação quando me deparo com esse tipo de coisa na internet, é ignorar e nunca dar “cliques” para matérias com esse conteúdo, pois são nossos cliques, audiência e comentários, seja para criticar ou elogiar que alimentam mais e mais esse tipo de imprensa. Mas essa história foi mexendo comigo  e me fez pensar novamente em como podemos ser vazios e superficiais. Se é esse tipo de material que um jornalista deve apresentar, qual o sentido desta profissão e quais os nossos valores? E acima de tudo, uma mulher pode envelhecer?
O segundo “babado” da semana, envolveu a blogueira Gabriela Pugliese, musa da malhação e vida saudável. Eu, inclusive, adoro os vídeos do canal Vendi Meu Sofá, onde ela entrevista várias figuras.
Por acompanhar e conhecer um pouco (e superficialmente) do estilo descontraído dela, quando li a história do vazamento dos nudes (se você não sabe do que tô falando, clica aqui), entendi como uma brincadeira, mas o pessoal levou a sério e eu entendo porque. Primeiramente, vazamento de fotos com esse conteúdo é crime e já trouxe muito sofrimento e traumas a mulheres mundo afora. Nunca é legal brincar com esse tipo de sentimento, não é? Fora isso, a Gabriela é uma personalidade da internet e possui alguns milhares de seguidores nas redes sociais e invariavelmente, quando se está numa posição assim, deve-se pensar no que você está compartilhando, pois muita gente não entende brincadeiras, ironias e levam algumas coisas a sério demais, principalmente quando você se propõe a construir uma carreira baseada em incentivar pessoas a ter uma vida mais ativa e saudável, consequentemente essas pessoas vão querer conhecer e seguir alguns dos seus valores também, pois muito mais que um corpo, nós somos conteúdo e buscamos exemplos em que podemos nos espelhar.
É assustador ver a pressão que mulheres sofrem pela imagem e as loucuras que podem cometer em busca de um corpo “perfeito”. A cultura da magreza deixa muita gente doente e casos assim, só expõem nossa fragilidade.
A Gabriela foi muito infeliz no seu vídeo sim, mas xingamentos e ofensas também não vão resolver. E foi desta forma que muita gente decidiu reagir. Acho que isso também é um péssimo exemplo para os jovens e cria um clima de tensão desnecessário.
Enfim, a terceira notícia é que o Brasil é o quinto no ranking de violência contra a mulher. Um título nada agradável e muito triste. Além disso, foi divulgado que mais de 50% dos assassinatos de mulheres é realizado por um familiar e por dia, 13 mulheres são mortas no país.
Há muita gente que ignora este fato, que tapa os olhos e ouvidos para o que está acontecendo ao seu redor, mas a realidade é esta é devastadora. Mulheres sendo mortas apenas por serem mulheres, meninas, filhas e mães.
Tornar essa discussão maior e mais ampla é um passo. Levar isso as comunidades e escolas, empoderar meninas, para que elas se tornem mulheres independentes, financeira e emocionalmente, corajosas e unidas é outro. Deixar meninos serem gentis e amáveis, sem considerar isso fraqueza, para que sejam melhores amigos, amantes, pais e que uma nova geração ensine a outra que seres humanos merecem respeito independente do sexo e da orientação sexual.
Apenas três notícias sobre nosso imenso universo feminino que me fazem refletir sobre para onde estamos caminhando como sociedade. Quais os nossos valores, as pressões que sofremos e como reagimos ao que está a nossa volta.
Ainda acho que amor e compreensão são a melhor escolha. Vamos corrigindo nossos erros, aprendendo a ser melhores, porque ninguém é perfeito.
Deixe seu comentário e vamos conversar mais…