Oi pessoal! 
Como prometido ontem, lá no facebook, hoje vou contar pra vocês sobre o livro que lí nesta semana.
“Bling Ring” foi como ficou conhecido um grupo de jovens americanos, de classe média alta, com idade entre 18 e 19 anos, e que tinham um hobby um tanto quanto peculiar, invadir casas de celebridades e roubar itens dos seus closets gigantescos. O diferencial é que tudo que era roubado, era exibido pelos próprios, nas festas mais badaladas da Califórnia, além de redes sociais.
É incrível pensar que essa história é real.
Algumas das celebridades roubadas foram:
*Paris Hilton
*Lindsay Lohan
*Orlando Bloom
*Megan Fox
entre outros…
O livro foi escrito pela Jornalista Nancy Jo Sales, que entrevistou os integrantes do “bando” para a revista Vanity Fair, quando o caso já havia sido descoberto pela polícia e imprensa.
Em alguns momentos, ele é bem cansativo, pois Nancy, que precisou adaptar sua matéria da revista para as 272 páginas do livro, preenche com muitas histórias de filmes e programas de TV. Mas o interessante, e que realmente nos faz refletir, são os momentos em que a autora fala de como o “glamour” da vida dessas celebridades, que na sua maioria, são totalmente desregradas, é tão atrativo para os jovens e de certa forma, podem ter influenciado o comportamento dos integrantes da “Bling Ring”, assim como ainda influenciam milhões de jovens ao redor do mundo.
Outro ponto alto do livro, é quando Nancy, nos mostra os bastidores de um reality show, estrelado por Alexis Niers, uma das “Bling Rings” (sim, ela ganhou programa). Alexis, de todos no bando, era a mais aspirante a celebridade. Ela, antes dos “eventos”, fazia alguns trabalhos como modelo, mas nada realmente importante.
O programa “Pretty Wild”, da emissora E! (a mesma das Kardashians), teve apenas uma temporada. A jornalista pode acompanhar algumas gravações e presenciar como há muito pouco de realidade nesses “shows”, que vendem, uma grande mentira para os telespectadores.
É por traçar um panorama de uma sociedade consumista e destorcida, onde os valores familiares já não tem o peso principal na vida das crianças e jovens, tendo sido substituído por horas na frente da TV e computadores que o livro é tão interessante.
Já o filme, que curiosamente foi lançado primeiro que o livro, e também foi baseado na matéria de Nacy Jo Sales para a Vanity Fair, EU não recomendo.
Foi dirigido pela famosa Sofia Coppola, que geralmente dá um ar muito gracioso e delicado a suas obras. Ela realmente tem uma sensibilidade ímpar para tratar de temas humanos, mas não foi feliz em reproduzir a trajetória da “turminha”.
As atuações são amadoras. Você não consegue comprar a idéia de que os atores são realmente aquelas pessoas e isso dá muito nervoso.
Muitas cenas de choro forçado e diálogos recheados de gírias jovens, que são inseridas no texto, para parecer natural, mas aparenta o oposto.
Espero que tenham gostado!
Beijocassss