Eu levei muito tempo pra descobrir que tinha TPM.
Durante anos achei que sofria de depressão e por ignorância, falta de orientação ou os dois, acabei acreditando nisso por mais tempo do que deveria.
O auto-conhecimento foi fundamental para perceber que as minhas variações de humor nada mais eram do que resultado do meu ciclo menstrual e que isso é que isso é muito mais comum do que imaginamos.
Algumas mulheres tem sintomas tão leves que nem percebem, outras, como eu, se transformam.
Exageros a parte, pelo menos 10 dias antes da menstruação eu começo a perceber que estou mais carente e chorona. Além disso, me irrito com muito mais facilidades e pequenas coisas que passariam despercebidas, se tornam grandes problemas. Ah! E tudo isso vem acompanhado de dores de cabeça e nas costas.
Esse monte de mudanças acontecem graças aos hormônios, como explica o Dr. Dráuzio Varela:

A mulher tem uma concentração de hormônios sexuais diferente da do dia anterior e diferente da do dia seguinte. O impacto que isso provoca no humor feminino também oscila de um dia para o outro. Por isso, os homens dizem que as mulheres são difíceis de entender”.

Se conhecer é a melhor forma de controlar a TPM, mas isso não é fácil.
Para alguém que vive irritado e estressado, monitorar a TPM é uma tarefa quase impossível. Então, meu conselho, primeiramente é tentar melhorar sua qualidade de vida e enxergar as coisas com outros olhos.
Encontrar motivações no seu dia-a-dia deixa tudo mais leve. Eu gosto muito de livros de auto-ajuda. Sei que algumas pessoas criticam esse tipo de literatura, mas pessoalmente, me ajudou muito a melhorar minha auto-estima e rever pontos que eu precisava melhorar.
Ter bons amigos e atividades fora do trabalho, como sair pra dançar, malhar , etc, também é importante.
Feito isso, podemos nos concentrar na TPM.
Eu comecei a anotar no calendáriotodos os dias que fico “pra baixo” e também os dias que iniciava a menstruação. Quase sempre esse intervalo era de dez dias. Sabendo disso, começava a parte mais difícil, controlar os sentimentos.
Gente, não é nada fácil, porque eu realmente me sinto triste, insegura, irritada, mas o mundo não pára pra esperar tudo isso passar, sendo assim, tenho que ter força, jogar o cabelão e seguir em frente.
Claro que vez ou outra, dou uma escorregada (impossível segurar o choro ou não perguntar pro namorado se ainda me ama), mas conto com a compreensão e ajuda dos que estão comigo.
O namorado, tem que ser um pouco mais paciente, não tem jeito, mas não é por isso que sobrecarrego o coitadinho.
No trabalho é mais difícil, porque essas pessoas geralmente não fazem parte da sua família ou circulo de amizade. Por isso tento ficar mais reservada. Falar menos, me expondo menos também.
Claro que com todo esse sofrimento e esforço, chocolate e pipoca estão mais do que liberados. Não penso duas vezes!!!
Espero que isso possa ajudar quem sofre com a TPM, ou seja, todas nós!!!!